Durant los darrièrs dos decennis, de govèrns successius privatizèron fòrça companhiás e de sectors clau de l'economia, en inclusent lo sector financièr e las telecomunicacions. [30], Um relatório publicado em janeiro de 2011 pelo Diário de Notícias, um importante jornal português, revelou que no período entre a Revolução dos Cravos, em 1974, e 2010, os governos da República Portuguesa sobrecarregaram o erário público com as despesas de parcerias público-privadas pouco claras. Estima-se que a Economia de Portugal tenha sido, em 2013, a 49ª maior do mundo se considerarmos o seu Produto Interno Bruto nominal (PIB nominal), estimado em 219,4 mil milhões de dólares. [38], A carga salarial da função pública em Portugal atingiu, subiu desde 6,4% do PIB em 2003 (ligeiramente inferior à média da UE de 6,5%) para 6,7% em 2005 (6,3% na UE) e 7,0% em 2007 (6,1% na UE), voltou a descer para os 6,3% em 2008 (6,2% na UE) e voltou a disparar para os 8,4% em 2010 e 2011 (6,6% na UE).[39]. Su capital es Lisboa y su moneda Euros. Su deuda pública en 2019 fue de 249.980 millones de euros. Assuntos económicos gerais, comerciais e laborais (nomeadamente o investimento público, estável em 0,2% do PIB entre 2003 e 2011 e os subsídios à actividade económica, que caíram gradualmente de 0,4% em 2003 para 0,1% em 2011), Serviços hospitalares com internamento (após se ter mantido estável em redor dos 2,5% do PIB entre 2003 e 2005, a despesa caiu abruptamente para 0,5% em 2011, um valor baixíssimo em comparação com os outros países da UE), Tratamento de resíduos sólidos (estável em 0,2% do PIB entre 2003 e 2011). 7.Gasto público. As fontes renováveis representam já um grande peso neste setor. Nas ex-SCUT, vão sendo instalados, progressivamente, sistemas de portagens eletrónica. Em 2003, essa percentagem era de 14,2% em comparação com 18,5% na UE a 27, enquanto que em 2011 ela estagnou nos 18,1%, em comparação com os 19,6% na UE a 27. A vinda da crise económica de 2008, abalou o país, mas não deixou de haver uma continuidade no aumento de exportações e de surgimento de novas médias e pequenas empresas, ao demarcar-se no mercado europeu e internacional. Na atualidade, Portugal é servido por uma densa e moderna rede de autoestradas, todas com sistema de portagem. A participação no Euro obriga o país ao cumprimento das regras do Pacto de Estabilidade e Crescimento, obrigando o controle das contas públicas e da inflação, mas assegurando ao país níveis mínimos históricos de inflação e taxa de juro. A partir do 2º semestre de 2011, já com, Funções relacionadas com os órgãos legislativos, executivos, financeiros, fiscais e diplomáticos (3,1% do PIB em 2003, 3,5% em 2005, 2,7% em 2008, 5,0% em 2010 e 3,8% em 2011, consistindo a esmagadora maioria em gastos com remunerações, regalias, consumos intermédios e finais, só se posicionando atrás da Hungria), Pagamento do serviço da dívida, particularmente a partir de 2011 (relativamente estável até 2010 em redor dos 3% do PIB, saltou para os 4,2% em 2011). Se sabe algo sobre o tema abordado, edite a página e inclua informações mais recentes, citando, Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um, Fundo Europeu de Estabilização Financeira, «World Economic Outlook Database, October 2019», O mundo em 2017 visto pela revista The Economist. A dívida pública começou a subir fortemente entre 2004 e 2005, de 61,9% para 67,7%, quando o défice se situou nos 6,5% (o 2º mais alto da UE, só abaixo da Hungria). 279.853 millones de dolares. De 2002 a Junho de 2011, durante os governos de Durão Barroso, Santana Lopes e José Sócrates a economia cresceu a uma taxa média anual inferior a 0,5%. [25] No início de dezembro de 2009, o desemprego atingiu 10,2 % da população, o maior em 23 anos. Entre 2002 e 2013, a economia recuou 1,3%. Protecção social, em que Portugal convergiu, a nível de percentagem do PIB gasta com a média da UE, embora não o suficiente. Portugal é um dos países que mais tem aumentado o salário mínimo nacional[carece de fontes?]. https://gl.wikipedia.org/w/index.php?title=Economía_de_Portugal&oldid=5528713, licenza Creative Commons recoñecemento compartir igual 3.0, agricultura 10%, industria 30%, comercio e servizos 60% (. [21], Atualmente, a estrutura da economia portuguesa baseia-se principalmente no sector dos serviços, que representa cerca de 67% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. Desde 2002 a economia portuguesa tem estado estagnada ou em recessão, à excepção do ano de 2007 em que cresceu 2,4%.